Monitoramentos Ambientais
Monitoramentos Ambientais

Os monitoramentos ambientais podem ser exigidos durante o processo de licenciamento ambiental e são ferramentas para atestar a eficiência de medidas de controle, propiciando uma percepção sistemática e integrada da realidade ambiental.
A Terra Nova possui conhecimento técnico e equipamentos necessários para a realização de monitoramentos ambientais visando que sua empresa cumpra a legislação ambiental vigente.

Monitoramento de Ruído
Níveis elevados de ruído podem causar diminuição da qualidade de vida da população. Tendo em vista o bem estar e a saúde da comunidade em geral, a Resolução CONAMA Nº 01/1990 estabelece os padrões e critérios aceitáveis para emissão de ruídos, em decorrência de quaisquer atividades industriais, comerciais, sociais ou recreativas.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica como de potencial dano auditivo ruídos acima de 85dB, no entanto ruídos constantes acima de 55dB já causam algum tipo de impacto no organismo humano. Deste modo, os níveis de ruídos são categorizados em função do uso e ocupação do solo e horário.
Os padrões e condições exigíveis para avaliação da aceitabilidade do ruído em comunidades, assim como seu método de medição são referenciados na NBR 10151 (Avaliação dos Níveis de Ruído em Áreas Habitadas) e na NBR 10152 (Níveis de Ruído para Conforto Acústico).
A metodologia utilizada pela equipe da Terra Nova para a medição dos níveis de ruído é baseada na legislação vigente. As principais etapas da metodologia empregada consistem na verificação das condições de ensaio; medições externas; seleção dos pontos de medição; registros da supervisão de campo; e avaliação das medições realizadas.

Avaliação do Ruído
Baseia-se no NCA (Nível de Critério de Avaliação). Os horários variam de acordo com os hábitos da população, estabelecendo que o período noturno das 22h às 7h. Domingos ou feriados o término do período noturno não deve ser antes das 9h.

Laudo de ruído Ambiental
Documento técnico que atesta os resultados de medição de ruído, avaliando as condições de aceitabilidade em comunidades, independente da existência de reclamações e confrontando com parâmetros legais e seguindo a norma NBR 10.151.

Monitoramento da Qualidade do Ar
A degradação da qualidade do ar representa um importante fator de ameaça à saúde humana, tendo sido associada ao agravamento de doenças respiratórias, cardiovasculares e neurológicas. Impactos da poluição atmosférica sobre os ecossistemas também são observados, no que diz respeito à deposição de poluentes atmosféricos nas plantas, levando à redução da sua capacidade de fotossíntese, e a acidificação das águas da chuva, entre outros.
Os padrões de qualidade do ar exercem o papel essencial na gestão da qualidade do ar. Na Política Nacional de Meio Ambiente (Lei 6.938/1981), os padrões de qualidade do ar foram incorporados como um dos instrumentos da política ambiental. A Resolução CONAMA Nº 003/90, por sua vez, definiu os valores medidos em concentração de poluentes, dos padrões nacionais de qualidade do ar para Partículas Totais em Suspensão (PTS), Fumaça, Partículas Inaláveis (M P10), Dióxido de Nitrogênio (NO2), Dióxido de Enxofre (SO2), Monóxido de Carbono (CO) e Ozônio (O3).
Para a avaliação da qualidade do ar, a Terra Nova utiliza equipamentos semi-automáticos (amostradores de grande volume) para medição dos seguintes parâmetros: Partículas Inaláveis (MP-10) e Partículas Respiráveis (MP-2,5).

Monitoramento de Fauna Silvestre
O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), através da Instrução Normativa Nº 146/2007, regulamenta os programas de monitoramento e resgate de fauna silvestre. Esta Instrução Normativa objetiva o estabelecimentos de critérios referentes ao manejo de fauna silvestre nas áreas de influência de atividades consideradas efetiva ou potencialmente causadoras de impactos à fauna que são sujeitas ao licenciamento ambiental, conforme definido pela Lei Nº 6.938/81 e pelas Resoluções CONAMA Nº 001/86 e Nº 237/97.
O monitoramento da fauna consiste em ações de acompanhamento que objetivam a avaliação das populações existentes em uma região ou habitat. Os dados obtidos nesta atividade apontam os possíveis impactos e alterações antrópicas e seus efeitos sobre as comunidades biológicas. Destaca-se que o órgão ambiental licenciador pode exigir a execução do monitoramento antes, durante e após a instalação de um empreendimento potencialmente causador de impacto ambiental.
As atividades de resgate, por sua vez, consistem em ações voltadas para a captura, coleta, transporte e destinação a fauna. O programa de resgate de fauna é exigido pelo órgão ambiental licenciador em empreendimentos onde haja a necessidade de remoção de solo, supressão vegetal ou alteração paisagística. O objetivo do resgate é de minimizar os impactos causados pelos empreendimentos sobre as comunidades locais.

Se interessou?


Entre em contato conosco, trabalharemos para a sustentabilidade do seu negócio.